quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Ausência


 

[Não me vês, 2003 - Dário Alves]




 
Estamos tão pouco presentes na vida de algumas pessoas que dificilmente elas notam a nossa ausência. E no entanto nós sabemo-nos ausentes porque gostamos da sua presença.




 

5 comentários:

Rubi disse...

Muito bem, nem mais. Os anos passam e a ausência não...

CLÁUDIA disse...

E por mais simples que seja essa verdade, não magoa menos cá dentro por isso...

Um beijinho e os votos de um Natal mágico. ***

Maria disse...

(...)

Sílvia Maria disse...

Como entendo essas palavras...

um perfeito estranho disse...

"Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim."


Carlos Drummond de Andrade