terça-feira, 12 de outubro de 2010

A BARREIRA INVISÍVEL

 





O ensaio filosófico, o poema, o filme 



 «I seen another world. Sometimes I think it was just my imagination.»


     

     
      «A Barreira Invisível» retrata de forma emocional a tomada em pleno Pacífico, pelos americanos, da ilha de Guadalcanal em 1942. É um filme diferente, que se recusa a mostrar heróis de guerra tal qual estamos habituados a ver, optando por nos dar a faceta humana com os seus receios, angústias, alegria e sofrimento.
     
      Há neste filme uma espectacular conjunção entre os barulhos da guerra, o fervor do poder, o cinismo das hierarquias militares, a tranquilidade impressionante das belas paisagens tropicais, o colorido da fauna e a pureza dos nativos. Acresce-lhe uma espécie de luta entre o sagrado e o profano. Sem nunca se perder a noção do real, com espectaculares cenas de guerra, há uma atmosfera celestial em que os murmúrios da mente nos vão revelando aquilo que não pode gritar-se. Os dramas dos mutilados, a alienação provocada pelos medos, o que se sente ou deixa de sentir são de uma crueza perturbante.
     
      Baseado no livro de James Jones, o argumento - de uma inquestionável riqueza - é do próprio Terrence Malic e no vasto elenco de actores constam nomes como Sean Penn, Nick Nolte, Woody Harrelson, John Cusack, Elias Koteas, Jared Leto, John Savage, John C. Reilly, John Travolta e George Clooney. Estes dois últimos têm pequenas participações como figurões, altas patentes militares, longe da guerra. Não é assim também na realidade?
     
      «A Barreira Invisível» transmite-nos o drama dos militares na 2ªGuerra Mundial, muitos deles morrendo cobertos de glória, deixando no entanto um rasto de dor e saudade em troca de uma simples memória. Porquê? Pela ânsia de poder que invade o homem.  


1 comentário:

alexandra disse...

Não é facil, para mim, explicar a dualidade que se percebe no filme, mas tu fizeste-o bem.

"...O amor, de onde é que ele vem?...quem acende em nós esta chama?...

...Esta maldade imensa de onde terá vindo?...como é que se imiscuíu no mundo?...De que semente, de que raiz veio a crescer?...
...Talvez todos os homens sejam como uma vasta alma a que todos pertencem. Tudo faces de um mesmo homem, um imenso ser..."

Beijinhos :)